segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ajuda ao Panamericano ameaça império de Silvio Santos

São Paulo - O Grupo Silvio Santos pode vender o controle do Banco Panamericano para honrar arte do empréstimo de R$ 2,5 bilhões concedido à holding do apresentador pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). A instituição ainda não foi colocada à venda oficialmente, segundo fontes próximas à companhia. Mas essa pode ser a primeira - e a mais rápida - solução para começar a arrecadar o dinheiro. 

Silvio Santos deu como garantia do empréstimo todas as 44 empresas da holding. O banco, na visão do grupo, é um bom negócio. Seu problema era contábil. Com a capitalização anunciada ontem, voltaria a atrair compradores. Silvio Santos estaria disposto a se desfazer do Panamericano, segundo a reportagem apurou. Desde que o Banco Central apurou a fraude contábil, há cinco semanas, o empresário tem adotado uma postura bastante pragmática. Todas as opções de venda de patrimônio serão analisadas. Quando uma participação minoritária foi vendida para a Caixa, há um ano, o Panamericano foi avaliado em cerca de R$ 2 bilhões. A venda do banco provocaria um forte impacto em todo o grupo, pois é, de longe, o negócio mais importante e rentável. 

No início de 2008, um executivo de um banco americano procurou Silvio Santos para fazer uma oferta pelo Panamericano. Foi recebido na casa do apresentador. Silvio não quis vender e teria dito algo como: "Trabalho todos os dias na televisão. Chego de manhã e saio tarde da noite. No fim do ano, a TV me rende, no máximo, R$ 40 milhões. Quanto ao banco, nunca fui lá. Mas todo ano me dá até R$ 120 milhões. Não quero vender. E posso correr risco de até uns R$ 2 bilhões no banco". Na mesma conversa, o banqueiro perguntou por que não vendia um pedaço do SBT para a Televisa. Silvio disse que havia tentado, mas não havia encontrado interessados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário