segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

PRINCÍPIOS INCONSTANTES, III Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural

Em 2010, o Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural vai colocar na pauta de seu debate a prática do jornalismo frente às importantes transformações culturais vindas das tecnologias digitais. Isso porque é tarefa urgente considerar e valorizar as especificidades do jornalismo cultural e seu poder de atuação na sociedade. Reconhecer que a cultura ocupa, atualmente, um lugar estratégico no cotidiano das pessoas amplia as potencialidades críticas do jornalismo cultural, que assim pode ser exercido como elo nas diversas esferas sociais, inclusive na política.

Entre os assuntos do debate, estarão a maneira como se tem acesso à cultura hoje em dia, as novas percepções que emergem dos ambientes digitais e as novas fronteiras que se configuram. O evento, que tem curadoria da jornalista Rachel Bertol, vai abordar ainda a prática profissional, seja diante dos desafios impostos pelas tecnologias ou no resgate dos seus fundamentos em meio à renovação necessária. Convidados nacionais e internacionais estarão presentes nas mesas.

Confira a programação:

pRINCÍPIOS iNCONSTANTES, p//i
III Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural
quarta 8 a sexta 10 de dezembro de 2010


quarta 8


17h30 O Valor da Crítica
com Luís Antônio Giron (Revista Época), Fabio Malini (Ufes) e Stuart Stubbs(Loud and Quiet). Mediação de Jeder Janotti (Ufal).

Com a profusão de informações e um ambiente de produção artística intensa, como se processa a crítica? A mesa de abertura do seminário coloca em questão a crise da crítica, os novos sentidos e os mecanismos e processos de validação na mídia tradicional e nos meios digitais.

19h30 A Cultura de Ícones - Interações
com Juan Freire (Universidade de La Coruña, Espanha) e Mia Consalvo(Massachusetts Institute of Technology, Estados Unidos). Mediação de Rachel Bertol (jornalista e curadora do evento).

Ícone, palavra que no século XX era usada no contexto de "artista referência", hoje é interpretada, também, sob as novas formas de veicular informação e conteúdos na internet. Da era dos "grandes ícones" culturais e intelectuais, passou-se à era dos "ícones de tela" de computador. Estariam os artistas e intelectuais perdendo espaço no imaginário das pessoas para ícones instantâneos do Twitter, do Facebook e do Youtube?


quinta 9


17h30 O Editor e as Possíveis Narrativas
com Alex Needham (jornal britânico The Guardian), Jan Fjeld (Showbiz do UOL) e  Marcelo Costa (Scream & Yell). Mediação de Fernanda Cerávolo (curadora do MediaOn).

Diante das mídias digitais, editar ganha outros sentidos, inclusive na maneira de "diagramar" uma página de web, com ferramentas de design virtual. Quais os novos requisitos exigidos dos profissionais, especialmente editores, em tempos de narrativas fragmentadas? A mesa discute esse impacto no jornalismo cultural e as novas relações com o público.


19h30 Audiência: Renovar para Preservar
com Blake Eskin (The New Yorker, Estados Unidos), Marcos Strecker (Folha de S.Paulo) e Pablo Miyazawa (Rolling Stone Brasil). Mediação de Cassiano Elek Machado (CosacNaify).

Como manter vivos os princípios do bom jornalismo cultural num momento em que entretenimento e jornalismo muitas vezes se confundem? Audiência: Renovar para Preservar propõe a reflexão sobre alternativas de como preservar leitores e audiência na era da competição predatória e da emergência de novas mídias e linguagens.

sexta 10


17h30 Criatividade e Narrativas - Fundamentos
com Humberto Werneck (jornalista e escritor), Cao Guimarães (cineasta) e José Castello (jornalista e escritor). Mediação de Claudiney Ferreira (Itaú Cultural).

Na área cultural, os repórteres lidam, por meio de suas fontes, com a criação e o intelecto. A criatividade e o domínio de narrativas são instrumentos importantes do profissional desta área. Assim, resta a reflexão: o repórter de cultura, hoje em dia, corre especial risco de se anular diante da agenda da indústria cultural?


19h30 A cultura de Ícones II - Percepções
com João Carlos Salles (UFBA) e Kenneth Goldsmith (UbuWeb, Estados Unidos). Mediação de Giselle Beiguelman(PUC/SP).

Como as transformações podem impactar o diálogo do jornalismo cultural com o público, uma vez que não é só o jornalista que produz e veicula informações? A atividade de encerramento do seminário discute o papel do jornalismo cultural frente às novas e muitas maneiras encontradas pelo público para acessar e produzir bens culturais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário