segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Azeite e vegetais protegem contra doenças cardíacas

Segundo um novo estudo, as mulheres que comem mais azeite e vegetais folhosos, como espinafre, couve e alface, são muito menos propensas a desenvolver doenças cardíacas.
Os pesquisadores analisaram informações coletadas da dieta de quase 30 mil mulheres italianas cuja média de idade era 50 anos no início do estudo.
Os resultados mostram que as mulheres que comem pelo menos uma porção de legumes por dia têm 40% menos probabilidade de desenvolver doença cardíaca durante uma média de oito anos em relação às mulheres que consumem duas ou menos porções desses vegetais por semana. Da mesma forma, pelo menos 3 colheres de sopa de azeite por dia também oferece 40% menos probabilidade de diagnóstico de doença cardíaca.
Durante o estudo, 144 mulheres sofreram eventos cardíacos graves relacionados à doença, tais como ataque cardíaco ou cirurgia. As mulheres que comeram pelo menos uma porção diária de legumes, como alface ou chicória crua, ou legumes cozidos como espinafre ou acelga, tinham um risco 46% menor de desenvolver doença cardíaca. Consumir pelo menos um pingo de azeite por dia também reduziu o risco em 44%.
O consumo de outros tipos de vegetais, como raízes e couves, e o consumo de tomate ou outras frutas não pareceu estar ligado ao risco para eventos cardíacos.
Os pesquisadores não sabem por que especificamente os legumes e o azeite de oliva protegem o coração. Provavelmente, os mecanismos responsáveis pelo efeito protetor envolvem micronutrientes, como ácido fólico, vitaminas antioxidantes e potássio, presentes em vegetais de folhas verdes.
O folato reduz os níveis de homocisteína no sangue, que aumentam o risco de doença cardiovascular por que danificam o revestimento interno das artérias. Pessoas que comem mais potássio têm pressão arterial mais baixa, o que pode proteger o sistema cardiovascular. E o azeite virgem pode ser particularmente eficaz por causa de seu alto nível de compostos de plantas antioxidantes.
Outros estudos já ligaram esses alimentos a uma saúde melhor. Recentemente, a dieta mediterrânea tradicional, rica em vegetais e gorduras monoinsaturadas de azeite e nozes, e pobre em gorduras saturadas de carne e produtos lácteos, tem sido ligada a uma diminuição do risco de doença cardíaca, alguns cânceres e diabetes, além da desaceleração do envelhecimento cerebral. [Reuters]

Nenhum comentário:

Postar um comentário