sexta-feira, 19 de março de 2010

Secult/Jua comemora mais um ano de festejos ao 166 anos do grande criador da historia de Juazeiro do Norte



A XXVIII Semana do Padre Cícero, em comemoração aos 166 anos do seu nascimento, foi aberta na noite desta quinta-feira e prossegue até o dia 24 de março. Houve apresentações da Banda de Música, Encontro de Corais e instalação da VI ExpoCícero, uma exposição fotográfica e de souvenirs relacionados com o sacerdote no hall do Memorial. Muitos eventos serão realizados incluindo atividades culturais, esportivas, palestras e liturgias.

O prefeito Manoel Santana presidiu a solenidade de abertura observando ser impossível pensar Juazeiro sem a figura do Padre Cícero e revelou que renova sempre as suas esperanças no sacerdote acreditando que o mesmo “acompanha e ilumina a nossa caminhada para que seja cada vez mais firme e segura”. Na opinião dele Juazeiro é o que é graças a Padre Cícero, pois, como falou, mesmo após sua morte a sua força espiritual segue junto com a cidade.

Outra confidencia do prefeito foi a de que, sempre que atravessa momentos de dificuldades, procura se espelhar no sacerdote “em meio a essa luta política muitas vezes injusta. Santana aproveitou para informar que, ano passado, Juazeiro foi a cidade que mais conseguiu empenhar recursos para o seu desenvolvimento e apontou o desejo de, no Centenário do município, “inaugurar um novo momento com nova infraestrutura para se adequar aos tempos modernos e tornar Juazeiro na maior referência do Nordeste”.

O presidente da Comissão Organizadora do Centenário, Geraldo Menezes Barbosa, aplaudiu a intenção do prefeito e, no seu pronunciamento, se referiu à pujança do ensino superior como síntese do desenvolvimento da terra fundada pelo Padre Cícero. Antes, o Secretário de Turismo e Romarias, José Carlos dos Santos, falou que os eventos da semana são momentos de gratidão e reconhecimento por tudo que o sacerdote fez e faz em prol do Juazeiro.

Sobre a programação, o titular da Setur observou que a mesma manteve a base tradicional e inovou em algumas iniciativas “em nome de mais alegria e brilho”. Citou como exemplos as apresentações dos corais Som das Águas da Cagece, Vozes da Minha Terra de Brejo Santo e o coral do Campus Cariri da UFC. Também, os momentos de estudos e pesquisas sobre a vida e o trabalho de Padre Cícero. Lembrou para domingo à noite as apresentações dos “Cantores de Deus” com suas músicas e benditos, bem como a tradição do dia 23 com a seresta, corte do bolo, canto de parabéns e show pirotécnico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário