sábado, 3 de julho de 2010






Crato - CE - Mestre da Cultura é tema de documentário






As primeiras filmagens aconteceram no terreiro de casa. Do jeito que a mestra da Cultura Zulene Galdino começou sua trajetória como um dos nomes da cultura popular do Estado do Ceará. O registro do trabalho, que começa a ser executado para realização de um documentário sobre a vida da artista do Município do Crato, faz parte do Projeto "No terreiro dos Brincantes", desenvolvido pela Universidade Regional do Cariri (Urca), por meio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e do Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho (IEC).

A mestra da Cultura Popular, Zulene Galdino, desenvolve suas atividades na Vila Novo Horizonte, no Crato. Antes era no pé-da-serra do Araripe, como diz a mestra. E lá, afirma, ninguém via o que era feito, porque era só uma brincadeira. "Até hoje é assim, mas levando a sério a importância de preservar origem, sem transformar num carnaval fora de época", diz Zulene, ao se referir às atuais quadrilhas juninas, que, segundo Zulene, não tem nada a ver com a real cultura do povo.

Ela até brinca que, numa das quadrilhas que visitou, inventaram até a participação do ´cão´, um personagem que mete medo e não tem sentido. "As minhas quadrilhas são aquelas que se via antigamente e é assim que ensino às crianças", explica.

Zulene mostra o seu lugar de mestra, ao definir a cultura popular: "quer dizer as pessoas simples", ao acrescentar que as pessoas que têm essa ligação com a verdadeira cultura do povo, e nem fazer apresentação de carnaval fora de época.

Manifestações

Desde criança, Zulene dançava quadrilha junina, tendo criado dois grupos, um infantil e outro de jovens. Além da quadrilha, mantêm vivas outras manifestações na comunidade, como a lapinha, maneiro-pau e o grupo cintura fina.

Pena que, no último fim de semana, quando foram feitas as primeiras filmagens, boa parte dos brincantes não pode participar. Alguns estavam doentes e sem pique para dançar. Mesmo com o desfalque do grupo cintura fina e do maneiro pau, a mestra deu entrevistas abordando a sua história de vida.

Reconhecimento

Ela hoje ressalta a alegria de ver o seu trabalho sendo valorizado. Lembra de grandes incentivadores, como o folclorista Elói Teles. Hoje, diz que a própria sociedade já começa a ver esse reconhecimento do seu trabalho e vez por outra recebe homenagens. "Isso é muito importante porque é um registro desse trabalho que tenho feito em minha vida. A gente envelhece e morre e alguém deve saber como é que se faz a cultura popular, respeitando a sua simplicidade", afirma Zulene.

O projeto "No Terreiro dos Bricantes", segundo o professor e integrante do IEC, Alexandre Lucas, visa contribuir para memória social e afirmação da identidade e diversidade cultural das região do Cariri.

Objetivo

O projeto é desenvolvido por meio de registros audiovisuais e entrevistas com os mestres e mestras do saber popular na própria comunidade. Um dos objetivos do documentário é contextualizar a realidade socioeconômica dos brincantes. Deverão ser feitos, ao todo, dez documentários.

O primeiro, que está em fase de finalização, contará a história das mulheres do Coco da Batateira. O projeto conta com sete acadêmicos monitores.

Cultura

"O projeto visa contribuir para a preservação da memória social e afirmação da identidade cultural"
Alexandre Lucas
Professor

"Cultura popular quer dizer as pessoas simples, que têm ligação com a verdadeira cultura do povo"
Zulene Galdino
Mestra da Cultura

MAIS INFORMAÇÕES

Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho - IEC
Pro - Reitoria de Extensão da Urca
(88) 3102.1200

Nenhum comentário:

Postar um comentário