sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Título da postagcrédito para o natal Hora de renegociar dívidasem

Serasa estimula que lojas e instituições financeiras renegociem, neste fim do ano, os débitos em atraso

O consumidor cearense que está preocupado com o nome "sujo" e teme ter dificuldades para comprar presentes para o Natal deste ano e outras datas comemorativas, porque acumula dívidas com lojas, bancos e financeiras, já pode ver uma luz no fim do túnel. Isto porque a Serasa Experian lançou, nesta semana, uma campanha nacional para oferecer às empresas de varejo e instituições de financiamento soluções de renegociação de dívidas com seus consumidores inadimplentes.

Clique para Ampliar




Parcelamento e descontos

As sugestões, em geral, consistem em parcelamentos mais prolongados, descontos e juros mais baixos. Além disso, a campanha também prevê a concessão de crédito àqueles que estão pagando em dia. O superintendente de informações de crédito da Serasa, Vander Nagata, lembrou que há vários tipos de devedores e que as soluções serão oferecidas com base nisso.

Perfil considerado

"Há diferentes graus de endividados. Tem aqueles que devem apenas para um banco ou para uma só financeira e aqueles que devem para mais de uma instituição. Tem ainda os que devem para várias lojas", disse.

A gerente de concessão de créditos para pessoa física da Serasa, Simone Lima, confirmou o cuidado. "Crédito bem concedido previne dívidas futuras, o que significa a sustentabilidade do crédito", declarou. O objetivo, afirmou Nagata, é fazer com que o consumidor possa chegar no fim do ano com maior poder aquisitivo, aproveitando também o adiantamento do 13º salário.

Na RMF

No mercado local, a campanha é bastante válida, tendo em vista que, no mês de setembro, a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) apresentou-se com o 2º maior nível de consumidores endividados dos últimos 13 meses, registrando um índice de 4,9% de pessoas inadimplentes. Para o diretor da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Régis Dias, a medida é positiva para o mercado, que ficará ainda mais aquecido com a participação ativa de clientes. No entanto, atenta para possíveis injustiças nas renegociações e concessões.

Segundo ele, a campanha, que vem sendo feita anualmente, tem colocado em pé de igualdade consumidores que estão devendo e aqueles que estão em dia. "Os inadimplentes estão sendo sempre favorecidos, pois em todo fim de ano, estão recebendo benefícios para recuperar suas dívidas", reclamou.

"Eu entendo que muitos empresários passam por dificuldades circunstanciais, como concorrência e reposição de estoque, mas não se pode beneficiá-los todos os anos", completou.

Restrições

Dias defende que os devedores recebam mais restrições no momento de renegociar, e que os adimplentes sejam premiados, recebendo mais crédito ou tendo um maior prazo para pagar impostos. Essa última vantagem, segundo ele, seria mais válida para pessoas jurídicas. A campanha realizada no ano passado beneficiou cerca de 2,7 milhões de consumidores.

No Ceará, a financeira Fort Brasil realiza, duas vezes ao ano, ação semelhante. De acordo com José Pires Neto, diretor de operações da empresa, a próxima vai acontecer entre 5 e 10 de dezembro.

Perto do Natal

"As datas são casadas com entrada de dinheiro no mercado, como o pagamento do 13º, por exemplo. Esse ano fizemos também uma campanha nesse mês de setembro, concedendo prazo de até 12 vezes para quitar débitos e descontos até 90%, dependendo do prazo", conta.

O gasto do consumidor beneficiado chegou a até 3 vezes o perfil mensal desse tipo de cliente. A campanha aumentou em 60% a recuperação de créditos da financeira.

MAIS INFORMAÇÕES

Em Fortaleza, a Serasa encontra-se na Rua Pedro Borges, 20, sala 1101 (Centro). TEL: (85) 3066-1100

ATRASOS
Profissionais liberais lideram lista, diz BC

Brasília Profissionais liberais têm as maiores taxas de inadimplência do Brasil. Pesquisa divulgada ontem pelo Banco Central (BC) mostra que o nível de calote entre os brasileiros que trabalham por conta própria em atividades como a arquitetura, contabilidade, direito e odontologia é a mais elevada entre todas as categorias de clientes identificados pelo BC.

Segundo o levantamento, em todas as regiões do Brasil clientes com a ocupação "profissional liberal" ocupam o desconfortável primeiro lugar na lista de inadimplentes.

Regiões

Na região Centro-Oeste, é onde há o pior indicador: 5,2% dos profissionais liberais estão com pagamentos de dívidas com atraso superior a 90 dias. Em seguida, estão as regiões Sudeste (5,1%), Sul (4,6%), Nordeste (4,5%) e, por último, os estados do Norte (4,4%).

A segunda categoria com mais calotes é a dos empresários, cujas taxas de inadimplência oscilam entre a máxima de 4,3% no Centro-Oeste e a mínima de 3,7% no Sudeste. No restante do Brasil, a taxa de atrasos entre os empresários é de 4% no Nordeste e Norte e de 3,8% no Sul do Brasil.

EM AGOSTO
Inadimplência das empresas desacelera

São Paulo A inadimplência das companhias brasileiras desacelerou em agosto em razão do aumento da atividade provocado pelo Dia dos Pais, que gerou receitas necessárias para honrar parte dos financiamentos atrasados, informou ontem a Serasa Experian.

Na comparação com julho, a inadimplência aumentou 1,9%, nível bem inferior aos 4,5% registrados em julho ante junho.

Na variação anual do Indicador de Inadimplência das Empresas calculado pela Serasa houve crescimento de 23,5% sobre agosto de 2010. No acumulado do ano, a alta foi de 14,8% em relação aos oito primeiros meses de 2010. De janeiro a agosto, o valor médio das dívidas não bancárias, que incluem cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços, foi de R$ 739,45, cifra 1,6% maior em relação aos oito primeiros meses de 2010.

Bancos

O valor médio das dívidas com bancos teve um crescimento maior, de 9,1%, e alcançou R$ 5.165,06.O valor médio dos títulos protestados subiu para R$ 1.760,16, alta de 7,6% no acumulado de janeiro a agosto. Já os cheques sem fundos tiveram valor médio de R$ 2.065,11, alta de 1,5%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário