sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Fortaleza - CE - Encontro discute a Segurança na Região Nordeste

Cidades sitiadas por quadrilhas de assaltantes de bancos, ataques a caixas eletrônicos com detonação de explosivos, tráfico intenso de drogas e armas, além de homicídios. Estes são os principais tipos de crimes que, cada vez mais, assustam as populações das capitais e do interior do nordeste brasileiro.

Reduzir tais ocorrências a níveis estatísticos toleráveis e buscar o fim da sensação de insegurança e impunidade são desafios constantes para as autoridades policiais. Para conter o avanço da violência armada e a ação de quadrilhas organizadas é necessário investir em inteligência e novas tecnologias da informação, além de planejar e executar operações conjuntas e integradas entre os Estados.

Conselho

São estas as metas das autoridades que, ontem, se reuniram, na noite de ontem, num hotel da Beira Mar de Fortaleza para a abertura da 32ª Reunião Ordinária do Conselho de Segurança Pública do Nordeste (Consen).

O encontro, que vai traçar os planos e modelos de execução da política de combate à criminalidade para a região, traz a Fortaleza todos os secretários da Segurança Pública dos nove Estados nordestinos, além dos respectivos comandantes gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros, delegados gerais de Polícia Civil, superintendentes das polícias Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), além outras autoridades e representantes do setor.

A abertura da reunião aconteceu às 20h30 com a explanação do atual presidente do Consen, delegado federal Aldair da Rocha, ex-superintendente da PF no Ceará e, recentemente, conduzido ao cargo de secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Norte.

Segundo ele, o encontro deverá centrar suas discussões em três eixos temáticos que representam a necessidade do combate à criminalidade; a integração dos e avaliação das ações conjuntas entre os órgãos policiais operativos e de inteligência; a oportunidade de conhecimento de novas técnicas de enfrentamento à insegurança pública (troca de experiências exitosas); e o planejamento de ações conjuntas de forma interestadual, como as operações nas divisas dos Estados da região.

"Nas divisas, há cidades que estão em ameaça constante de quadrilhas", disse Aldair. Ele elogiou a iniciativa do secretário da Segurança Pública do Ceará, coronel Francisco José Bezerra Rodrigues, de integrar as polícias dos Estados em operações conjunta nas divisas, trabalho este batizado de ´Sertão Integrado´ e que já trouxe diversos resultados positivos, com a desarticulação de quadrilhas que atuavam de Estado a outro.

Investir

Já o coronel Bezerra ressaltou os investimentos que o governo do Ceará fez nos últimos cinco anos, com o somatório de aproximadamente R$ 500 milhões na reestruturação da Segurança Pública. Bezerra usou, por diversas vezes em seu discurso, a palavra ´compartilhar´ para ressaltar a importância da troca de experiências e o trabalho integrado das corporações policiais da região no enfrentamento ao crime organizado.

Um dos convidados do evento foi o desembargador Teodoro Silva Santos, que representou o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará. Como presidente da Comissão de Segurança dos Magistrados, ele aproveitou a reunião para ressaltar a necessidade de mais segurança para os juízes que atuam nos processos que tratam de delitos do crime organizado.

FIQUE POR DENTRO
Ronda virou modelo

Experiências exitosas de combate à criminalidade foram ressaltadas, ontem, durante a abertura do evento. O Ceará tem servido de modelo para outros Estados nordestinos desde que implantou o Programa de Policiamento Comunitário, o Ronda do Quarteirão. Já Pernambuco, conteve a onda de assassinatos lançando o ´Pacto Pela Vida´. Na região, o Estado de Alagoas é o primeiro no ranking dos homicídios contra jovens de até 24 anos.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário