segunda-feira, 30 de maio de 2011

Criméia de Almeida: presa e torturada mesmo grávida de oito meses


Conheça a história de Criméia Almeida, ex-guerrilheira do Araguaia, que foi presa e torturada pela ditadura militar mesmo grávida de oito meses. Ficou 20 horas em trabalho de parto, na cela, sem qualquer ajuda, até o filho nascer no Hospital do Exército.“Sabe o que eu pensava na hora do parto? Puxa, eles prendem, matam e as pessoas estão nascendo, né? Eles não são capazes de segurar tudo...”, afirma. O testemunho faz parte da série exibida na novela do SBT Amor e Revolução.



Criméia faz parte de uma família de sobreviventes da ditadura militar. Além dela, também sua irmã, Maria Amélia de Almeida Teles e seu marido, César, além de seus dois filhos, Janaína e Edson, foram presos e torturados no período.

Veja mais depoimentos:
-Rosalina Santa Cruz dá depoimento na novela Amor e Revolução
-Líder da ALN fala do tribunal de exceção da esquerda na ditadura
-Jornalista Rose Nogueira: “marca de tortura não passa, não passa”

Nenhum comentário:

Postar um comentário