sexta-feira, 20 de maio de 2011

no nordeste CE lidera emprego temporário

Cerca de 80% das vendas do comércio varejista são pautadas nas datas comemorativas. É o que afirma o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas do Ceará, Freitas Cordeiro. "Claro, que nem todos os segmentos acompanham esse percentual, mas a sazonalidade é responsável pela abertura e crescimento do setor em geral", ressalta. Como consequência, o varejo passou a contratar mais a cada ano durante esses períodos. Em 2011, entre Páscoa e Dia das Mães, segunda melhor data para esse tipo de comércio, cerca de 5 mil vagas temporárias foram criadas só no Ceará. Esse número levou o Estado ao topo do ranking dos que mais contrataram no Nordeste (26,03%), segundo pesquisa do levantamento oficial da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem). No País, a representação do Ceará chegou a 5,09%.
Clique para Ampliar

No Brasil
Foi a proximidade entre as comemorações em 2011, que possibilitou números expressivos no Brasil. Durante a Páscoa, 70,1 mil trabalhadores conquistaram postos temporários. 10,8% a mais que no ano passado, quando, na mesma data, apenas 63,3 mil pessoas foram empregadas. Desse total cerca de 60% das vagas eram oriundas da indústria, enquanto 40% ficaram a cargo do comércio.

Contudo, apenas 27 mil desses contratos foram prorrogados até o Dia das Mães. Na ocasião, mais 28 mil vagas foram criadas exclusivamente para a data, resultando em 55 mil empregos temporários.

Efetivação
De acordo com Freitas Cordeiro, não sai barato para uma empresa realizar contratações pontuais. A rotatividade acaba gerando mais encargos. Portanto, a ideia do empresário é sempre tentar aproveitar o trabalhador, mesmo por que o mercado tem exigido isso. "A demanda é crescente e a tendência para os próximos meses é positiva", diz.

Em todo o Brasil, 5,5 mil temporários foram efetivados após a data das mães, já em função do Dia dos Namorados.

Demanda
Entre as funções mais requisitadas estão as de motorista, entregador, auxiliar de cozinha, promotor de venda, estoquista e auxiliar de empilhadeira.

ANA CAROLINA QUINTELAESPECIAL PARA ECONOMIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário