terça-feira, 5 de junho de 2012

CID CONVERSA COM LUIZIANNE Nada decidido sobre a coligação

Governador reafirmou sua discordância com o sistema de escolha do candidato do PT para ser levado aos aliados
O governador Cid Gomes não ficou satisfeito com a decisão do PT, no último domingo, de definir o nome do secretário de educação, Elmano de Freitas, como candidato do partido à Prefeitura de Fortaleza, sem que os representantes dos demais partidos da aliança tivessem participado do debate. Ele vai levar a questão da manutenção ou não da aliança para ser decidida pelo PSB, no próximo dia 11.


Governador Cid Gomes diz estar interessado na aliança, mas a eleição na Capital reclama alguns cuidados que serão avaliados pelo PSB FOTO: ALEX COSTA

Ontem, o governador anunciou que vai exonerar todos aqueles secretários que tenham domicílio em Fortaleza. "Ficarão desincompatibilizados. Se até o dia 30 (de junho) nenhum for (escolhido como o candidato), volta para a administração, porque estou satisfeito com o trabalho de todos", afirmou Cid.

O governador, que é presidente estadual do PSB, afirmou que foi informado oficialmente pela prefeita Luizianne Lins sobre a indicação do nome de Elmano de Freitas, pelo Partido dos Trabalhadores à sucessão dela durante café da manhã, realizado ontem, na residência oficial do Governo. No encontro, que contou também com a presença do presidente nacional do PT, Rui Falcão, e do deputado federal José Nobre Guimarães, Cid ressaltou as dificuldades que existem nos dois partidos, devido à forma como o processo de aliança vem sendo conduzido pelos petistas. Este fato foi colocado por ele como a principal falha na condução de manutenção da aliança entre as agremiações.

Indagado
Ele ainda brincou dizendo que não tem se preocupado com eleições, ao contrário do que dizem, e que o tema só é lembrado por ele, quando indagado pela imprensa. Cid disse estar preocupado apenas em administrar o Estado e "retribuir o apoio que foi dado pelas pessoas", através das obras que vem inaugurando.

Cid ressaltou mais uma vez que quer manter a aliança com o PT e que vai tentar mobilizar o PSB para isso, em nome da aliança nacional. No entanto, ressaltou que na Capital é preciso ter cautela. "Eu manifestei meu desejo e minha dedicação para, até o limite do prazo legal, manter a aliança entre o meu partido e o PT. Mas Fortaleza precisa ser examinada com cautela. Vou levar as colocações do PT para a direção do meu partido", declarou, lembrando que o encontro de ontem não foi conclusivo.

Para ele, ainda não existe um prazo para uma próxima reunião com Luizianne Lins. Cid disse que isso só seria colocado depois de uma conversa interna entre os socialistas. "Sou engenheiro e aprendi a ser disciplinado. Minha dedicação me recomenda para a manutenção da aliança, e é a isso que estou me dedicando. Se falar em plano B, C, D, E, estou faltando com essa disciplina e esse processo é muito delicado", salientou.

Telefonema

Já a prefeita Luizianne Lins afirmou que irá esperar um telefonema de Cid para um novo encontro, que deverá acontecer nas próximas semanas. "Nós vamos costurar a aliança, mas, mesmo sem o PSB, o PT já tem seu nome escolhido, e até dia 30 escolhemos o nosso vice, que pode ser do PSB, mas se não for, será de um dos partidos que já apoiam nossa candidatura", frisou a petista em visita aos estúdios da TV Diário, ontem. Ela não quis polemizar sobre atitude de Cid sobre desincompatibilização de secretários estaduais, e disse que isso caberia ao governador decidir.

Apesar de defender a aliança, Cid colocou ser importante respeitar o posicionamento da população, que em pesquisa recente realizada pelo Ibope e contratada pelo PSB, mostrou-se contrária à manutenção da aliança PT/PSB. "É importante respeitar o sentimento da população", disse o governador, lembrando que os dados apresentados serão levados em conta durante a decisão da legenda se continua ou não coligado com o Partido dos Trabalhadores.

Lideranças
"Não vou fazer juízo de valor, pois não se trata de nomes. Tem que pensar em projetos, no futuro da população. Eu defendo uma aliança que é nacional e, por isso, é importante estrategicamente para o Ceará, trazendo dividendos para a população, por isso defendo essa aliança".

Sobre o discurso do presidente Rui Falcão de que o PT não será empecilho em 2014 para o PSB disputar o Governo do Ceará, Cid disse que as eleições para governador do Estado e presidente da República ainda estão muito longe e que seu desejo é de apoio à reeleição de Dilma Rousseff. No entanto, afirma, quem irá decidir isso é o seu partido. Segundo ele, uma eleição não pode ser definida apenas a partir do entendimento de suas lideranças, e, sim, com discussão com os filiados partidários e com a população. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário