quarta-feira, 27 de junho de 2012

Queda é 2º motivo de atendimento

Sesc promove Semana de Prevenção de Quedas em Pessoas Idosas com o objetivo de prevenir estes acidentes
Quedas de idosos são consideradas um problema de saúde pública, ocasionando enfermidades e limitações à pessoa. No ano passado, o Instituto Dr. José Frota (IJF) atendeu 5.898 pessoas em casos de queda da própria altura. Destas, a maioria tem mais de 60 anos. Até maio deste ano, foram 2.360 atendimentos. De acordo com o diretor executivo do IJF, Casemiro Dutra, estes incidentes com idosos ocupa a segunda posição no número total de atendimentos do hospital, ficando atrás apenas dos acidentes com motociclistas.


Com o avanço da idade, as pessoas perdem a coordenação motora e o equilíbrio Foto: Alcides Freire

O médico explica que esse tipo de acidente é perigoso e tem como consequência, geralmente, a fratura do fêmur e o traumatismo crânio encefálico. Como perfil, ele destaca que "são em sua maioria mulheres, entre 60 e 65 anos, que caem em casa ou em calçadas com desníveis".

Pensando no tema, o Serviço Social do Comércio (Sesc) realiza, de hoje até sexta-feira (29), a Semana de Prevenção de Quedas em Pessoas Idosas, com o objetivo de esclarecer e orientar pessoas idosas, familiares, cuidadores e demais interessados acerca da prevenção de quedas de idosos através de medidas socioeducativas.

Questão psicossocial

De acordo com a assistente social de trabalho com idosos do Sesc, Lidiane Dantas, além dos agravos na saúde física, as quedas de idosos também atingem a questão psicossocial. Esse problema pode causar baixa autoestima e até medo de sair de casa. "O idoso pode ficar acamado e, com isso, desenvolver novas doenças", explicou.

Outro problema que Lidiane apontou foi o desrespeito com os idosos dentro dos ônibus, pois, muitas vezes, os motoristas não esperam que eles se sentem antes de continuar a viagem.

Lidiane comentou que, diante do avanço da idade, as pessoas vão perdendo a coordenação motora e o equilíbrio, o que acaba dificultando a acessibilidade de quem já passou dos 60. "Essas quedas podem levá-los a morte", ressaltou.

Lidiane ressalta que cuidados como utilizar sapatos e bolsas leves e ter poucos móveis e tapetes em casa podem ajudar na prevenção de quedas.

Casemiro Dutra acrescenta que é preciso evitar que o idoso chegue ao hospital, tendo como principal ação, mexer na estrutura da casa. "Devem ter rampas, os pisos não podem ser escorregadios, e os banheiros precisam ter locais para apoio. Evitar desníveis dentro de casa também é muito importante", orienta.

THIAGO ROCHAREPÓRTER 

Nenhum comentário:

Postar um comentário