quinta-feira, 21 de junho de 2012

Crato comemora 284 anos




A cidade de Crato comemora nesta quinta-feira, 21, 248 anos de emancipação política. As comemorações começaram na última segunda-feira, 18, quando o prefeito Samuel Araripe (PSDB) concedeu entrevista coletiva à imprensa.

Na oportunidade, Araripe destacou os avanços administrativos da cidade, e as obras em andamento. Falou ainda sobre o momento atual que vive o município com avanços em diversas áreas da gestão.



No mesmo dia, no Teatro Municipal Salviano Arraes, deu-se a abertura oficial da semana com uma palestra proferida pelo prefeito para mais de 300 pessoas, entre empresários, universitários, lojistas, lideres comunitários e representantes das comunidades. O tema do evento foi “Crato, cidade planejada para o crescimento sustentável”.

Hoje, 21, acontece o encerramento da Semana do Município com desfiles das escolas da rede pública de ensino, Tiro de Guerra, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Ronda do Quarteirão e demais instituições, pela manhã, com concentração na Praça Siqueira Campos.

Acredita-se que primeira penetração no território do Cariri aconteceu durante século XVII, com a bandeira dos irmãos Lobato Lira. Desta bandeira, participaram dois religiosos: um padre secular e um frade capuchinho, que ganharam a confiança dos índios Kariris e conseguiram aldeá-los. Estes exploradores subiram o leito do Jaguaribe-Mirim e instalaram nos arredores da cachoeira dos Kariris (cachoeira de Missão Velha).

Mas o Crato foi oficialmente criado em 1740 pelo Frei Capuchinho, Carlos Maria de Ferrara, vindo da Itália catequizar os índios Kariris. Foi elevado a Vila Real em 16 de dezembro de 1762. Foi considerado na época um dos importantes povoamentos do Nordeste. A Vila Real veio receber diversas denominações como Missão do Miranda, Missão dos Kariris Novos e por ultimo Crato, em homenagem ao município português do mesmo nome.

Apoio da Igreja Católica

A primeira manifestação de apoio eclesiástico aconteceu em terras doadas pelo capitão-mor Domingos Álvares de Matos e sua mulher, Maria Ferreira da Silva. Essa doação localizava-se, inicialmente, em terras encravadas a dois quilômetros a sudeste da povoação, transferindo-se, em data posterior, para a margem direita do rio Granjeiro. Os trabalhos da primitiva Igreja, dedicada a Nossa Senhora da Penha de França, tiveram início em 1745, tendo como responsável, o frei Carlos Maria de Ferrara e seu companheiro frei Fidélis de Sigmaringa. Em 1762, foi criada a Paróquia, na aldeia do Miranda, sob a invocação de Nossa Senhora da Penha.

O Crato tornou-se cidade pela lei provincial 628 de 17 de outubro de 1853. Somente em 16 de agosto de 1763 é que o município foi criado através de carta régia do império. Em 21 de junho de 1764 aconteceu a sua instalação como Vila Real do Crato, desmembrando-se do município de Icó.

Mas a cidade do Crato não é exclusividade do Cariri. Existe um Crato em Portugal, no Amazonas, nos Estados Unidos, na Ásia e na África.

Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário