terça-feira, 22 de novembro de 2011

Mais de 60 corpos vítimas de mortes violentas são necropsiados por mês no IML de Juazeiro do Norte

Somente nos primeiros nove meses deste ano um total de 561 corpos de pessoas vítimas de mortes violentas foi necropsiado no Instituto Médico Legal (IML) de Juazeiro do Norte. Isso corresponde a 62,3 por mês ou uma média de dois cadáveres todos os dias. São vítimas de homicídios, suicídios, quedas e acidentes de trânsito em 25 municípios do Cariri sob a jurisdição do órgão.
Mais de 60 corpos vítimas de mortes violentas são necropsiados por mês no IML de Juazeiro do Norte

Os números foram apontados pelo Médico Legista, Francisco José Sales Siqueira, observando que o trabalho no IML não se restringe apenas aos que morrem e avisa que, nesse mesmo período, 2.868 vivos foram submetidos a exames, sendo a maioria de corpo de delito. Todo esse trabalho se dá atendendo perícias pedidas pelas autoridades policiais.

Quando se trata de alguém encontrado morto e não ocorre a identificação, o corpo fica engavetado na geladeira por algum tempo até ser sepultado como indigente. Para tanto, existem seis geladeiras as quais já não atendem mais as necessidades. A Sala de Necropsias pode receber quatro corpos e, igualmente, já necessita de ampliação para atender a demanda principalmente nos finais de semana.

O IML possui apenas dois rabecões e uma equipe, mas já existe previsão do estado no sentido de enviar, em breve, outros dois. As vezes, corpos demoram muito expostos no meio da rua sob o olhar de curiosos quando o rabecão está em uma cidade distante. Com o projeto de ampliação da frota, a direção do instituto pretende montar equipes deslocadas, por exemplo, em Brejo Santo para atender a uma parte da região agilizando o recolhimento de cadáveres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário