quarta-feira, 11 de julho de 2012

Arcebispo emérito do Rio vai ser enterrado na tarde desta quarta-feira


Recomeçaram às 6h desta quarta-feira (11), as missas de corpo presente do cardeal dom Eugenio Sales, arcebispo emérito do Rio, na Catedral Metropolitana, no Centro do Rio.

As missas ocorrerão a cada duas horas até as 15h, quando o corpo será enterrado. Dom Eugenio ficará no chão da cripta da Catedral ao lado de outro corpo de seu antecessor, o cardeal dom  Jaime Câmara, morto em 1971.
As portas da igreja não foram fechadas. Durante toda a noite e madrugada, milhares de fiéis, amigos, religiosos e admiradores de dom Eugenio passaram pela Catedral para se despedir. A vigília foi realizada na Capela do Santíssimo Sacramento, que fica atrás do altar. Pontualmente, às 6h os sinos da Catedral tocaram, dando início às missas desta quarta-feira.
A cripta da Catedral Metropolitana já está preparada para receber o corpo do cardeal. No espaço, no subsolo da igreja, apenas bispos e cardeais são sepultados. O túmulo de dom Eugenio fica em frente ao de Monsenhor Ivo Antonio Calliari, responsável pela construção da Catedral do Rio.
Cripta onde dom Eugenio será sepultado na Catedral do Rio (Foto: Carolina Lauriano/G1)Cripta está sendo preparada para sepultamento do cardeal arcebispo mérito do Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Durão/G1)
Ele é o segundo cardeal a ser enterrado no chão da cripta da Catedral do Rio.  Segundo a Arquidiocese, a cripta tem 25 mil nichos que podem ser adquiridos por qualquer pessoa, mas o chão do local é reservado aos bispos da Igreja.
De acordo com a Arquidiocese do Rio, o enterro será realizado na quarta porque o irmão de dom Eugenio e arcebispo emérito de Natal (RN), dom Heitor de Araújo Sales, e o bispo auxiliar de dom Eugenio, bispo dom Karl Joseph Romer, estão vindo do interior da Suíça.
Segundo o presidente da Comissão Especial Governamental - JMJ 2013, Luiz Pugialli, amigo de dom Eugenio por mais de 20 anos, mais de quatro cardeais do Brasil já confirmaram presença para o sepultamento.
O caixão do cardeal foi levado para a Catedral pelo caminhão do Corpo de Bombeiros, seguido por um comboio. Ao chegar à catedral, ele foi recebido por uma salva de palmas e pela banda da Polícia Militar. Uma pomba, que simboliza a paz, pousou sobre o caixão no momento em que foi solta.
Dom Eugenio morreu às 22h30 desta segunda-feira (9), aos 91 anos, após sofrer um infarto em casa.
Os fiéis já aguardavam do lado de fora desde a manhã. O caixão foi recebido pelo governador Sérgio Cabral, pelo prefeito Eduardo Paes e pela arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, que às 12h30 celebrou missa. Sobre o caixão, foi colocado uma bandeira do Brasil.
Pomba, que simboliza a paz, pousa sobre caixão (Foto: Rodrigo Vianna/G1)Pomba, que simboliza a paz, pousa sobre caixão (Foto: Rodrigo Vianna/G1)
A Polícia Militar executou o Hino Nacional e a Marcha Pontifícia. Por um tapete vermelho estendido na porta da igreja, o caixão foi levado por homens do Corpo de Bombeiros até a porta do templo.
Por volta das 10h30, os fiéis começaram a chegar à Catedral para participar da cerimônia. Segundo a moradora de Vila Isabel Ieda Duque Accioli, dom Eugenio fará muita falta à Igreja. “Ele era um cardeal muito participante. Deu a vida dele pela Igreja. Era muito carismático. Vai fazer falta. Era uma pessoa fechada, mas de muito bom coração”, afirmou a fiel. Já Maria de Fátima Moreira Santo, que vai todos os dias à igreja, nesta terça resolveu ir assistir à missa na Catedral para prestar uma última homenagem ao cardeal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário