quinta-feira, 26 de julho de 2012

Desemprego cai na região de Belo Horizonte em junho, diz IBGE



Em junho, a taxa de desemprego caiu na região metropolitana de Belo Horizonte, segundo a pesquisa mensal de emprego divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (26). O recuo foi de 0,6 ponto percentual sobre o mês anterior, de 5,1% para 4,5%.

Ao contrário do que ocorre em todas as divulgações mensais do índice de desemprego no país, em junho, a taxa média nacional não será conhecida porque a região do Rio de Janeiro ficou de fora. Devido à greve de funcionários do IBGE, os dados do Rio foram coletados, mas não puderam ser analisados. "Assim sendo, nesta divulgação, estão disponibilizados apenas os dados completos das regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre. Posteriormente, em data ainda não definida, serão divulgados os dados completos do mês de junho incluindo a Região Metropolitana do Rio de Janeiro", esclareceu o instituto, em nota.
saiba mais

Nesta apuração, a taxa de desocupação passou de 5,9% para 6,3%, no Recife, de 8% para 7,9%, em Salvador, de 6,2% para 6,5%, em São Paulo, e de 4,5% para 4%, em Porto Alegre. Na comparação com junho do ano anterior, foi registrada queda de 2,3 pontos percentuais na taxa de desocupação em Salvador, e estabilidade nas demais regiões.

De acordo com o IBGE, a população ocupada ficou estável em Salvador, no Recife e em São Paulo. No entanto, foi registrada queda de 1,8% em Belo Horizonte e de 1,9%, em Porto Alegre. Na comparação anual, contingente cresceu 3,9% no Recife e 2,2% em São Paulo. Não houve variação "estatisticamente significativa" nessa estimativa nas outras regiões.

Indústria do Recife
Quanto à análise pelos tipos de atividade, houve aumento de 11,8% da população ocupada na indústria do Recife. Em Salvador, foi verificado recuo de 10,9% nos serviços domésticos e de 11,9% na construção, em Porto Alegre. Na análise anual, houve crescimento de 17,6% na indústria e de 13,5% nos serviços prestados à empresas em Recife. Na região de Belo Horizonte, a construção aumentou em 12,1%, enquanto a indústria e os serviços domésticos apresentaram quedas de 7,9% e 9,4%, respectivamente. Porto Alegre mostrou quedas de 12,5% e 15,3% na construção e nos serviços domésticos.

Já na análise da população ocupada, o emprego sem carteira mostrou queda de 10,5% na região de Porto Alegre. Nas demais regiões, os números ficaram estáveis. Sobre junho de 2011, houve crescimento no contingente de trabalhadores por conta própria (11,2%) e de empregadores (27,9%) em Recife. Em São Paulo, o emprego dos trabalhadores com carteira de trabalho assinada e o dos militares e funcionários públicos estatutários aumentou 4,8% e 16,8%, respectivamente. Nas demais regiões não foi verificada variação significativa.

Salários
Quanto aos salários, o rendimento médio real subiu em todas as regiões. Foi verificada alta no rendimento médio real nas regiões metropolitanas de Recife (2,8%), Salvador (2,0%), Belo Horizonte (2,3%), e Porto Alegre (1,6%). Na RM de São Paulo registrou-se queda nesta estimativa (-0,4%). Na comparação anual, todas as cinco regiões metropolitanas tiveram acréscimo do rendimento médio real. Destaca-se a Região Metropolitana de Recife, onde a variação positiva foi de 13,4%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário