quarta-feira, 25 de julho de 2012

Crato será referência no atendimento com a Rede Cegonha


A Rede Cegonha é um programa do Governo Federal que sistematiza e institucionaliza um modelo de atenção ao parto e ao nascimento como objetivo de fortalecer um modelo de atenção especial com abrangência. Vai desde o reforço do planejamento familiar à confirmação da gravidez, incluindo o pré-natal, parto, pós-parto, até os dois primeiros anos de vida da criança. O Ministério da Saúde vai investir R$ 390 milhões com o programa. O Ceará foi integrado à rede e nesse primeiro momento vai beneficiar 23 municípios. O Estado recebeu R$ 50 milhões para as primeiras ações estratégicas e serviços já habilitados. Os investimentos iniciais correspondem a custeios de centros especializados, casa da gestante, instalação de leitos para adultos, neonatal e outros equipamentos necessários à funcionalidade do programa.
 
O Crato vai centralizar as ações regionais do programa “Rede Cegonha” e o Hospital e Maternidade São Francisco será um dos referenciais no atendimento as gestantes dos 13 municípios da circunscrição da Regional de Saúde, ou seja, Crato, Farias Brito, Várzea Alegre, Nova Olinda, Santana do Cariri, Potengi, Assaré, Tarrafas, Antonina do Norte, Araripe, Campos Sales, Altaneira e Salitre.
 
A regional já recebeu R$ 844 mil para aquisição de leitos, construção de um centro de parto para gestantes de alto risco e crianças prematuras, além de uma Unidade de Terapia Intensiva - UTI e outros equipamentos para garantir atendimento digno e seguro durante todo o período reprodutivo da mulher, culminando com o nascimento da criança, segundo a coordenadora da Atenção Básica da Saúde Pública do Crato, Regina Petrola, acrescentando que a Rede Cegonha vai garantir a ampliação do acesso da mulher ao acompanhamento médico ginecológico, com todas as garantias, a partir de vagas suficientes para a gestante e o bebê, com todas as boas práticas de atenção.
 
Para a coordenadora do Centro de Saúde da Mulher, que funciona anexo ao Centro de Especialidades, Maria Antonia de Sousa, a unidade vem funcionando bem com enfermeiros e médicos suficientes, mas falta número satisfatório de profissionais para o atendimento a gestante de alto risco, haja vista que é bastante significativa a quantidade de mulheres no Crato com esse tipo de gravidez e que são atendidas apenas por um especialista, o médico Jones Emerson Ribeiro. Ela tem a expectativa de que, com a adesão do Crato ao programa Rede Cegonha, a assistência seja fortalecida.  

Assessoria de Imprensa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário