quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Banco Central americano reduz previsão de crescimento

O Federal Reserve (FED, banco central americano) reduziu significativamente suas previões de cresimento para o próximo ano, de acordo com estimativas publicadas nesta terça-feira, que incluem um índice de desemprego mais alto que o esperado.

Os diretores do FED calculam agora que o crescimento do PIB americano deve ficar entre 3,0% e 3,6% no quarto trimestre de 2011, em ritmo anual. Em seus cálculos anteriores, publicados em junho, os dirigentes do FED previam um crescimento de 3,5% a 4,2% em 2011.
A projeção faz parte das novas previsões do banco, divulgadas no anexo das atas da última reunião de seu Comitê de Política Monetária (FOMC), realizada entre 2 e 3 de novembro. As atas revelam que o FED é ainda menos otimista acerca da evolução do desemprego nos Estados Unidos.

A estimativa do desemprego foi revista para cima em relação a junho, superando 9% na média do último trimestre de 2011, e 8% um ano depois. A taxa de desemprego oficial foi calculada em 9,6% no fim de outubro, perto de seu nível mais alto em uma geração. O banco central americano estima ainda que a taxa de desemprego estrutural deve ficar em 6%, como consequência dos danos provocados pela última crise econômica - 0,7 ponto percentual a mais que o relatório de junho.

Outras opções de estímulo

O FED considerou alternativas ainda mais drásticas para estimular a economia antes de decidir pela compra de US$ 600 bilhões em bônus, de acordo com a ata, que mostra uma divisão no banco central americano.
A maior parte dos membros do Comitê de Mercado Aberto apoiram o plano de compra em um esforço para derrubar o juros no longo prazo e tentar animar a atividade econômica.
"Alguns membros esperavam que a contínua falta de recursos levasse a mais desinflação nos anos à frente", afirma a ata.

Com informações da Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário