domingo, 21 de novembro de 2010

Papa proclama brasileiro como novo cardeal

Clique para Ampliar
Com a nomeação, dom Raymundo Damasceno poderá participar de um conclave para eleger um novo papa


Vaticano.
 O papa Bento XVI proclamou, ontem, em cerimônia solene, os 24 novos cardeais do Vaticano, entre eles o brasileiro dom Raymundo Damasceno Assis, de 73 anos, arcebispo de Aparecida.
A nomeação dos sacerdotes foi realizada por uma leitura, em latim, no início do consistório, o terceiro do pontificado de Bento XVI, celebrado na Basílica de São Pedro.
Hoje, o papa vai presidir na Basílica de São Pedro uma missa solene concelebrada com os novos cardeais, durante a qual lhes entregará o anel cardinalício e o barrete vermelho.
O evento é celebrado por mais de 100 cardeais, que vestem os trajes vermelhos litúrgicos. O coral da Capela Sistina acompanha os ritos.
Dos novos cardeais, 20 são eleitores (entre eles o brasileiro) por ter menos de 80 anos, o que significa que podem participar de um eventual conclave para eleger um novo papa. Com as novas designações, o número de cardeais com direito a voto em um eventual conclave pela morte do Papa chega a 121 membros, um a mais que o limite fixado pelo Papa Paulo VI e poucas vezes superado por João Paulo II. 
o todo, há um brasileiro, um equatoriano, dois americanos, um asiático, quatro africanos e 15 europeus entre os novos cardeais. Aos novos cardeais, o papa destacou que na Igreja "não é a lógica do domínio nem a do poder a que reina, e sim a do serviço, a de ajoelhar-se para lavar os pés, a lógica da Cruz, que é a base de todo exercício de autoridade". "Na Igreja ninguém é patrão", afirmou Bento XVI, antes de ressaltar que os novos "príncipes da Igreja" passam a integrar o "coetus peculiaris", o grupo seleto "que dá sua colaboração assídua e imediata" ao pontífice.
Biografia 
Nascido no interior de Minas Gerais em 1937, Assis é presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) e foi ordenado padre da Igreja Católica no ano e 1968. Em 1986, foi nomeado bispo auxiliar de Brasília. Desde 2004, ele ocupa o arcebispado de um dos santuários católicos mais importantes do Brasil.
CONCLAVE 121 cardeais podem ter direito a voto em um eventual conclave pela morte do papa. O número supera o limite fixado pelo papa Paulo VI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário