sábado, 20 de novembro de 2010

Brasil gerou 2,4 milhões de novos empregos em 2010

O ministro do Trabalho Carlos Lupi anunciou nesta sexta-feira mais um recorde na criação de novos empregos no Brasil. Segundo os dados do CAGED em outubro foram criados mais 204 mil novos empregos. Com a divulgação dos dados de outubro, o mercado de trabalho brasileiro alcançou a marca recorde de 2.406.210 novos empregos criados em 2010, superior em 12% ao recorde anterior, de 2008: 2.147.971.

Ao fim do Governo Lula terão sido criados 15 milhões de novos empregos formais no país.
 
Em termos setoriais, dentre os 25 subsetores, oito apresentaram saldos recordes e cinco ficaram com o segundo melhor desempenho para o período. Com isso, o Brasil alcançou a marca de 43,5 milhões de trabalhadores formais, sendo 35,4 milhões deles celetistas, mais alto índice em toda a história do Brasil em todos os tempos.
 
"O recorde mostra a pujança do mercado interno brasileiro. A economia continua aquecida e forte. Neste ritmo, com certeza alcançaremos a meta de 2,5 milhões de novos empregos criados em 2010. Com a correção das declarações atrasadas, feita na RAIS (Relação anual de Informações Sociais), certamente vamos ultrapassar este número", comentou Lupi.
 
No mês, 24 unidades da federação expandiram o emprego com carteira de trabalho; seis delas assinalaram saldos recordes e quatro o segundo melhor saldo para o mês. Todas as cinco regiões do país obtiveram resultados positivos, com o Nordeste batendo recorde para toda a série histórica do Caged, com 53.291 novos empregos criados em outubro.
 
"Próximo ao fim do ano aumenta a geração de empregos no Nordeste, muito forte em Turismo e Serviços, e também no Sudeste, que além destes setores, também cresce muito em Comércio, com as vendas do Natal. Mas às vezes, inesperadamente, chove por 15 dias seguidos, alterando o ciclo da Agricultura e adiando o fornecimento de matéria-prima para a indústria da Transformação. Sem uva não há vinho", explicou o ministro.
 
 
Clique aqui para conferir os dados completos do Caged.


De Brasília
com informações do Ministério do Trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário