segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Unesco examina 46 candidaturas de 29 países para patrimônio cultural da humanidade

O Comitê do Patrimônio Cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) examina a inclusão de 46 candidaturas, apresentadas por 29 países, à relação de bens protegidos pelo órgão. A decisão final sobre os pedidos de inclusão será divulgada hoje (19). Vários países, como o Irã e o México, apresentaram mais de uma candidatura. Por isso, o elevado número de pedidos.
A lista de candidaturas reúne desde a dança flamenca espanhola até a cozinha mexicana, à música de marimba e às canções tradicionais da Colômbia, assim como a dança ritual peruana. O carnaval belga da cidade de Aalst, a Ópera de Pequim, os tapetes de Kashan do Irã também estão na lista examinada pela Unesco.
Do Azerbaijão, a proposta é incluir a arte tradicional dos tapetes, que envolve um verdadeiro ritual no processo de tecelagem e corte. Além da Ópera de Pequim, os chineses querem a inclusão da acupuntura e do moxabustão – que compõem a medicina tradicional chinesa – na relação de bens protegidos pelo Patrimônio Cultural.
 
O governo da Croácia pede a inclusão do pão de gengibre e mel feito de forma artesanal, uma tradição no país que surgiu nos mosteiros durante a Idade Média. A República Checa sugere que as procissões religiosas, no período anterior à Quaresma, nas quais os integrantes usam máscaras também sejam colocadas na relação.
Assim como os mexicanos, os franceses querem que sua gastronomia seja protegida pelo Patrimônio Histórico e Cultural. Os indianos defendem que a dança Chhau – tradicional do Leste da Índia que reúne episódios épicos – também entre na lista dos bens sob proteção da Unesco. A Indonésia apela para a inclusão do instrumento musical angklung feito de bambu e cordas.
Os tapetes iranianos de Kashan e Fars que seguem tradições seculares podem ser protegidos pelas Nações Unidas. A técnica japonesa de yuki-tsumugi, de produção de tecido de seda usado nos quimonos, é outra candidatura examinada. Da Lituânia, o estilo típico de música sutartinės interpretada apenas por mulheres é sugerido para a ser incluído entre os bens protegidos pelas Nações Unidas.
A procissão de Echternach Hopping Luxemburgo – que ocorre anualmente na cidade medieval de Echternach reunindo cantores e bailarinos – pode ser protegida pela Unesco. A arte tradicional da Mongólia Khoomei que imita sons da natureza também está na relação a ser examinada pelo Patrimônio Histórico e Cultural.
De Oman, a proposta para a Unesco é incluir a música e dança Al-Bar’ah – uma tradição beduína que reúne homens e mulheres. O ciclo de canto lírico da Coreia – que inclui orquestra de cordas, flauta transversal de bambu, cítara e instrumentos típicos – também está na relação de bens que poderão ser protegidos pelas Nações Unidas.
O canto da Sibila em Maiorca, na Espanha, quando há o cântico em todas as igrejas no dia 24 de dezembro, está entre os itens examinados pelos especialistas. Em uma mesma proposta a Espanha, a Grécia, a Itália e o Marrocos defendem que a dieta alimentar mediterrânea seja colocada na relação da Unesco. A tradicional literatura da Turquia que reúne elementos de dança e música também está na lista de bens que podem ser protegidos pela Unesco.
*Com informações da Agência Brasil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário