sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Salário mínimo movimentará Congresso na próxima semana


Convocados pelas centrais sindicais CTB, CUT, CGTB, Força, NCST e UGT, trabalhadoras e trabalhadores ocuparão o Congresso Nacional na próxima terça-feira (15), quando está previsto para entrar na pauta de votação o reajuste do salário mínimo. Eles querem pressionar os parlamentares a votarem um valor maior do que o proposto pelo governo, de R$545,00. As centrais defendem R$580,00.


Leia também

Alguns parlamentares ligados ao movimento sindical sugerem uma antecipação do reajuste do próximo ano, o que resultaria em um valor alternativo. Existem emendas à proposta de diferentes valores: o PCdoB propõe R$580, como defendem as centrais sindicais, o PSDB defende o valor de R$600, enquanto o DEM sugere R$565 e o PDT, R$560.

Na terça-feira, está prevista a realização de Comissão Geral no plenário da Câmara, com a participação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir o valor do mínimo com os parlamentares.

Na terça-feira e na quarta-feira, o secretário-executivo do Ministério, Nelson Barbosa, participará de reuniões com as bancadas pela manhã. Ele já começou as conversas hoje, quando se reuniu com a bancada do PV. A reunião com o PMDB está marcada para quarta-feira, também pela manhã.
O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, anunciou, nesta quinta-feira (10), que, pelo acordo firmado hoje com a oposição, o projeto de lei do salário mínimo será votado na quarta-feira (16) à noite, em sessão extraordinária. O acordo prevê amplo debate sobre o reajuste.

O projeto do salário mínimo, já enviado ao Congresso Nacional, fixa em R$545,00 o valor e prorroga a atual política de reajuste até 2014. A regra em vigor atualiza o mínimo conforme a inflação do ano anterior, mais a variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes.
De Brasília
Márcia Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário