quarta-feira, 30 de maio de 2012

TURISMO FAVORECIDO Em uma semana, euro recua até 7% na Capital cearense

Redução na cotação comercial começa a se refletir no valor do euro para quem compra a moeda para viajar

Para quem está pretendo viajar para fora do Brasil, mais especificamente para algum país europeu, uma boa notícia. O euro está caindo e negocia nos mínimos de cinco semanas. Na cotação comercial, a moeda comum começa a perder força, voltando ao patamar de R$ 2,48, valor registrado pela última vez no dia 25 de abril deste ano. Desde então, só vinha subindo.



Com este recuo, o reflexo começa a chegar na ponta, ou seja, no cidadão, que adquire a divisa para gastar em viagens a trabalho ou a lazer no exterior. No fim da tarde de ontem, em pesquisa direta realizada pelo Jornal, em cinco estabelecimentos, o euro turismo podia ser encontrado a no mínimo a R$ 2,62 nas casas de câmbio de Fortaleza, ante a quase R$ 2,80, como chegou a ser comercializado na semana anterior. Uma variação de aproximadamente 7%, e que começa a deixar interessante a compra. Na maior contação encontrada ontem a moeda valia R$ 2,69.

Menor valor

Na Tour Star, localizada na Avenida Monsenhor Tabosa, o euro estava sendo vendido a R$ 2,62, três centavos a menos que o valor da última segunda-feira (R$ 2,65). Segundo informado por um atendente da casa de câmbio, um recuo considerável se for levado em conta que na última semana, a mesma moeda chegou a custar até R$ 2,70.

Já a O M Câmbio, que fica no Meireles, o euro estava sendo comercializado a R$ 2,63. De acordo o gerente do estabelecimento, Roberto Ito, na semana passada atingiu o pico de R$ 2,80.

Ânimo

No entanto, apesar de considerável, a diferença ainda não animou o consumidor, que na sua opinião ainda está retraído diante de tanta oscilação.

"O que acontece é que quando alguém vai viajar a última coisa que deixa para fazer é comprar moeda estrangeira. A primeira atitude é comprar as passagens aéreas e depois reservar os hotéis. Deixam para comprar seus euros ou dólares em torno de cinco ou quatro dias antes", afirma.

Com a menor cotação das últimas duas semanas, a Sadoc Câmbio e Turismo, também na Monsenhor Tabosa, estava vendendo o euro, na tarde de ontem, a R$ 2,65, também três centavos a menos que a cotação da última segunda-feira. Conforme funcionário da loja, nos 15 dias que antecederam esta terça-feira, a divisa europeia oscilava na casa dos R$ 2,68.

Maiores cotações

Na pesquisa realizada pelo Jornal, os maiores valores de comercialização encontrados para o euro foram anotados na Confidence, com lojas nos shoppings Iguatemi e Del Paseo e ainda na Avenida Beira-Mar, e na Fita Câmbio, com unidades nas avenidas Monsenhor Tabosa e Dom Luis. Na primeira, estava custando R$ 2,68, ante a uma taxa de quase R$ 2,80 na semana que passou. Já na segunda, a divisa estava sendo vendida a R$ 2,69 na tarde de ontem.

Vale ressaltar que sobre a venda de moeda estrangeira em espécie, é acrescida ainda 0,38% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre o valor da operação.

Desvalorização

Segundo o economista Henrique Marinho, o derretimento do euro frente ao real não é exclusividade da moeda brasileira. "O euro vem perdendo valor não só ante o real. Isto também vem acontecendo em relação ao dólar, por exemplo", defende.

Conforme disse, não há um fator isolado que explique esse movimento. "O recuo do euro encontra respaldo na crise que assola a Europa, reforçada, mais recentemente, pela preocupação com o setor financeiro da Espanha. Mas também não podemos deixar de considerar fatores internos, como a expectativa de mais uma redução nos juros básicos da economia brasileira e também o efeito das medidas do governo para que o real não se desvalorize mais", fala.

FIQUE POR DENTRO
Comercial e turismo: entenda a diferença

As cotações das moedas estrangeiras costumam trazer muitas dúvidas para as pessoas. É bastante comum ver gente se perguntando por que a cotação do dólar ou do euro que se vê na TV é diferente daquela utilizada para viajar ao exterior ou para realizar pequenos investimentos. Daí valer a pena entender a diferença entre o câmbio comercial e turismo. O câmbio comercial é utilizado pelas empresas para a realização de importação e exportação de mercadorias, as movimentações financeiras do governo no exterior e os empréstimos de brasileiros residentes fora do País, quando registrados no Banco central (BC). A sua cotação é definida pelo mercado, embora o BC costume intervir comprando ou vendendo moeda para evitar uma desvalorização (ou valorização, dependendo do caso) muito acentuada. Já o câmbio turismo é aquele que compramos quando precisamos efetuar alguma viagem ao exterior. Ele é usado para aquisição de passagens aéreas, para gastos em estabelecimentos internacionais e também para a conversão de débitos efetuados em moeda estrangeira no cartão de crédito. Quando você compra moeda para viajar, sempre vai pagar a cotação turismo, que é um pouco mais alta do que a comercial.

ANCHIETA DANTAS JR.
REPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário