terça-feira, 22 de março de 2011

1º de Maio Unificado será lançado nesta terça


Cinco centrais sindicais estão convocando suas entidades filiadas para o lançamento do 1º de Maio Unificado 2011, que será nesta terça-feira (22), às 10h30, em São Paulo. Participam da iniciativa a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), a Força Sindical, a Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) e a União Geral dos Trabalhadores (UGT).

CTB
 
Cartaz de convocação do 1º de Maio Unificado 2011
O 1º de Maio unificado terá como norte o desenvolvimento do Brasil com justiça social. Entre outras bandeiras, os representantes dos trabalhadores reivindicam redução da jornada de trabalho sem o corte nos salários, valorização do salário mínimo, fim do fator previdenciário, igualdade entre homens e mulheres, trabalho decente e reforma agrária.

O Dia do Trabalhador será um momento de confraternização em 2011, mas também de conscientização para que os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil unam-se às centrais sindicais na luta pela ampliação dos direitos da população, por uma sociedade justa, democrática, igualitária, buscando o desenvolvimento do país com melhor distribuição de renda e valorização da classe trabalhadora.

Unidade
O principal aspecto do ato, entretanto, é a própria unidade das centrais, que não conseguia se consolidar no Dia do Trabalhador há 30 anos. Desde o histórico 1º de Maio de 1981, em São Bernardo do Campo (SP), uma comemoração da data não reunia um conjunto tão diversificado de forças e tendências do movimento.

Esta unidade é fruto das lutas que vêm sendo travadas em conjunto pelas entidades no Fórum das Centrais, do qual, além dessas cinco entidades, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) também participa. O Fórum das Centrais vem travando algumas lutas importantes de forma unitária, como a campanha pela redução da jornada de trabalho sem redução de salários e a recente luta em defesa do aumento do salário mínimo.

Contencioso 
Entretanto, a CUT decidiu não participar do 1º de Maio Unificado. Dirigentes de outras centrais acreditam que o motivo é o destaque que a Força Sindical acabou ganahando na questão do aumento do salário mínimo pelo fato do presidente da central, Paulo Pereira, o Paulinho, ser também deputado federal (PDT-SP).

Apesar do contratempo, as entidades segeum organizando o dia de lutas e as centrais que fogem ao contencioso entre a CUT e Força Sindicalconvocam a unidade dos movimentos, atuando em conjunto, ainda, com a Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS).

Serviço:

Lançamento do 1º de Maio Unificado
Local: Viaduto do Chá (região central) -São Paulo
Dia 22 de março (terça-feira)
A partir das 10h30

Da redação, Luana Bonone, com informações da CTB

Nenhum comentário:

Postar um comentário