sexta-feira, 4 de março de 2011

RECURSOS HÍDRICOS 18 açudes estão sangrando


As chuvas registradas no Estado possibilitam renovação hídrica nos reservatórios para alegria dos agricultores
Sobral Dos 134 açudes monitorados pela Cogerh em parceria com o Dnocs,18 já estão sangrando (levantamento feito até o fechamento desta edição). Os últimos reservatórios que atingiram sua cota máxima foram Cupim, em Independência, Bacia do Parnaíba e Lima Campos, em Icó, e o Gomes, em Mauriti, que registrou sangria na manhã de ontem. O volume atual encontra-se com 65,45%, o que representa 11,8 bilhões de metros cúbicos, dos 18 bilhões da capacidade total do Estado.
Clique para Ampliar

O primeiro deles a sangrar este ano foi o Tijuquinha, em Baturité, na Bacia Metropolitana do Estado.

Um dos espetáculos mais bonitos pode ser visto na sangria do Açude Umirim, em Massapê, com uma lâmina de quase dois metros, o que atrai muitos visitantes. A comunidade local aproveitar para pescar.

De acordo com o boletim da Cogerh, na Bacia do Alto Jaguaribe, dos 18 açudes, um está sangrando, Pau Preto, no Município de Potengi. Bacia do Salgado são 14 reservatórios, com cinco sangrando: Junco (Granjeiro), Lima Campos (Icó), Prazeres (Barro), Rosário (Lavras da Mangabeira) e Gomes (Mauriti). Bacia Acaraú são 13 açudes, três sangrando: Acaraú Mirim (Massapê), Arrebita (Forquilha) e S. Vicente (Santana do Acaraú). Bacia Coreaú são nove açudes, com três sangrando: Itaúna (Chaval), Tucunduba (Senador Sá) e Várzea da Volta (Moraújo). Bacia Paranaíba 10 açudes com um sangrando, Cupim (Independência). Bacias Metropolitanas 18 açudes, um sangrando: Tijuquinha (Baturité). Bacia Litoral sete açudes, com três sangrando: Patos (Sobral), Quandú (Itapipoca) e S. Pedro Timbaúba (Miraíma).

Wilson Gomes
Colaborador

INHAMUNSMoradores temem cheia do Rio Poti em Crateús
Crateús Chuvas intensas caíram neste Município nos últimos dias. E a população aproveita para fazer atividades como pesca, visitação de rios e açudes, mas também já se preocupa com a possibilidade de cheias do Rio Poty, caso as chuvas tenham continuidade. Na sede do Município, já há locais em que a população tem dificuldade de acesso e locomoção.

É o caso da passagem molhada do Souzinha, que liga o Bairro Cidade Nova (conhecido como Ilha) a outros bairros, como Cajás, Patriarcas e Cidade 2000. A passagem de pedestres, bicicletas e veículos está difícil. Alguns atravessam mesmo com dificuldade. Outros desistem.
Clique para Ampliar
Os problemas advindos das chuvas não ficam só na zona urbana, mas na rural. No Distrito de Montenebo, a 51km de Crateús, as pessoas têm dificuldades para vir à cidade. "A Defesa Civil do Município não recebeu nenhuma ocorrência até o momento", afirma o coordenador Teobaldo Marques. Diz que o órgão está atento, junto com os demais responsáveis pelo socorro das pessoas.

Silvania ClaudinoRepórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário