sexta-feira, 4 de março de 2011

8 de Março será marcado por blocos de carnaval e passeatas


Preparação da Marcha das Margaridas, blocos de carnaval, passeatas, debates e votação de projetos no Congresso Nacional. Feministas de todo o país organizam a celebração do 8 de Março, Dia Internacional da Mulher. Como a data, neste ano, cai na terça-feira de carnaval, as tradicionais passeatas em geral ocorrerão no dia 12 de março (sábado), como é o caso de São Paulo e do Ceará. Entretanto, os estados organizam também blocos carnavalescos no próprio dia 8.

UBM
 
Pré-carnaval do bloco "Maria vai com as outras", em Manaus. No centro da foto, a senadora Vanessa Grazziotin.


Reconhecendo os avanços conquistados pela luta das mulheres e a importância histórica da eleição da primeira mulher para a Presidência da República, as feministas paulistas sairão às ruas para dizer que a luta para mudar a vida das mulheres é cotidiana. “Estamos em luta diária contra a violência sexista, pela descriminalização e legalização do aborto, valorização do nosso trabalho, educação de qualidade para todos e solidárias às lutas anticapitalistas travadas no Brasil e no mundo”, afirmam as quase cem organizações que convocam o ato do dia 12. Em São Paulo, as feministas lutam ainda contra o fechamento do Centro Informação Mulher (CIM), organização não-governamental que possui a maior biblioteca sobre a questão da mulher da América Latina. No dia 8, terça-feira de carnaval, a mensagem será levada pelo bloco "Adeus, Amélia!"

Em Manaus (AM) e em Fortaleza (CE), as atividades estão sendo organizadas em torno dos blocos quase homônimos “Maria vai com as outras” e “Maria vem com as outras”, respectivamente. Em Manaus, o bloco teve um “esquenta” na última sexta-feira (25), no centro da capital amazonense. O pré-carnaval do “Maria vai com as outras” contou com a participação da primeira dama do estado, Nejmi Aziz, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), a deputada federal Rebeca Garcia (PP) e dezenas de participantes das entidades feministas amazonenses. Na passeata foi dado o grito "fora dengue”, campanha realizada pelo governo do estado e a pauta principal foi o combate à violência contra a mulher.

O Ceará também terá manifestação no sábado pós-carnaval. A caminhada das mulheres, sob o título "Lugar de Mulher é em todo Lugar" tem como pauta a participação política das mulheres. A concentração será na Praça do Carmo, a partir das 9 horas.

Mulher presidente
Para a coordenadora nacional da União Brasileira de Mulheres (UBM), Elza Campos, a eleição de Dilma Rousseff "representa a reafirmação das conquistas das mulheres no século 20, no qual, sob nossa ótica, deu-se o nascimento social da mulher”. A nota que a entidade divulga em função da data pauta o empoderamento e a participação política das mulheres: “já estivemos presentes em grandes batalhas populares em todos os tempos e lugares, ousando sonhar e construir um mundo diferente, verdadeiramente justo e igualitário. Já demos provas no passado de compromisso democrático quando lutamos por liberdades políticas para o povo brasileiro. No presente, queremos também ser protagonistas do esforço para construir um projeto de nação justa, com amplas oportunidades para toda a população”, diz o panfleto da UBM, que pode ser acessado neste link.

Além das passeatas organizadas pelos movimentos feministas, outras entidades também se organizam para marcar o 8 de Março. A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), por exemplo, que organiza neste ano mais uma Marcha das Margaridas, mobilizará ações regionais e encontros estaduais junto às Federações dos Trabalhadores na Agricultura (Fetags) ligadas à confederação com o objetivo de chamar atenção da população sobre a importância do dia e da manifestação que ocorre em Brasília, nos dias 16 e 17 de agosto de 2011, na Esplanada dos Ministérios.

As camponesas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra também se mobilizam. A Jornada de Lutas das Mulheres da Via Campesina já mobilizou nove estados. A pauta das mulheres do MST é a denúncia dos impactos para a saúde humana e para o ambiente do uso abusivo dos agrotóxicos. O debate proposto por elas é a respeito do modelo de produção do agronegócio. Na quarta-feira (2), aconteceram atividades em três estados: Ceará, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

Espaço institucional
No Congresso Nacional, o Senado fez a entrega do prêmio Bertha Luz, incluindo entre as homenageadas a secretária de questão da mulher do PCdoB, Maria Liège Rocha. Já a Câmara faz um esforço concentrado para a aprovação de projetos de interesse das mulheres neste mês, com destaque o projeto que proíbe a revista íntima de mulheres nas empresas privadas e nos órgãos e entidades da administração pública, de autoria da deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).
Da redação, Luana Bonone

Nenhum comentário:

Postar um comentário