sexta-feira, 25 de março de 2011

ATÉ DEFINIR REVISÃO Energia: Abradee apoia tarifa congelada no CE

Presidente da entidade disse ser mais razoável aguardar fim das análises da Aneel sobre novo método de cálculo
"É preferível aplicar uma regra estável mesmo que haja um efeito retroativo a ter que mudar tudo alguns meses depois". A explicação foi dada pelo presidente da Associação Brasileira de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Fonseca Leite, sobre a sinalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), expressada no início de fevereiro, e divulgada com exclusividade pelo Diário do Nordeste, que revelava a intenção de congelar temporariamente a tarifa da Coelce até o resultado final do 3º ciclo de revisão tarifária.

Clique para Ampliar

A previsão é de que a nova metodologia de cálculo seja definida apenas em setembro. Como o reajuste anual da concessionária cearense deveria ocorrer no próximo dia 22 de abril, a opção de postergar o aumento (ainda que retroativamente) tem ganhado mais força. "A Abradee apresentou à Aneel 145 páginas de sugestões para a nova metodologia. Está em estudos. Considero o congelamento a decisão mais razoável", comentou Leite, ressaltando que o assunto está sendo discutido em todo o País. "Dependendo das regras do 3º ciclo, a perda de capacidade de investimento das empresas pode chegar a 36% e deixá-las com pouco fluxo de caixa. O que seria um retrocesso. Mas não acredito nisso. O segredo do sucesso é que o setor é regulado por incentivos e busca de eficiência. O que aumenta a qualidade do serviço".

Leite citou a pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Ibope, em que 12 tipos de serviços públicos foram avaliados pela população de 140 municípios brasileiros. "Só quatro foram aprovados. O setor de energia elétrica foi considerado o melhor por 75% das opiniões".

Destaque
Nelson Leite participou do primeiro dia do "Seminário Abradee de Melhores Práticas (Samp)" e do "Workshop Atendimento ao Cliente", em Fortaleza, com a participação da Coelce e de outras 43 distribuidoras de todo o País, que representam 99% de todo o faturamento do setor. A ideia do encontro é trocar informações em busca do desenvolvimento do setor. "A Coelce foi premiada, em 2010, pela satisfação de seus clientes. Ela pode repassar suas boas práticas para as demais", contou.

Segundo o gerente de Regulação e Mercado, José Caminha, a Coelce pode informar as ações que a tornaram campeã em índice de qualidade de energia no Brasil, sobretudo, na sua experiência na área de recadastramento dos consumidores de baixa renda. "Temos 1,7 milhão de pessoas nessa faixa de consumo. Faltam cerca de 700 mil se apresentarem com o Número de Inscrição Social (NIS) nas nossas lojas instaladas nos184 municípios do Ceará. Estamos agindo. Mas é preciso que as pessoas também nos procurem para que elas não percam este importante benefício", reforçou.

ILO SANTIAGO JR.REPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário