quarta-feira, 23 de março de 2011

DENGUE Postos de saúde de Fortaleza vão funcionar aos domingos


Clique para Ampliar

O objetivo é beneficiar pessoas que não têm tempo de procurar atendimento básico durante a semana
Devido à gravidade do quadro epidemiológico da dengue no Ceará, unidades básicas de saúde de Fortaleza estão estendendo o atendimento à população para os domingos e também para o terceiro turno, como já acontece na Secretaria Executiva Regional VI.

Segundo a Regional, o objetivo é beneficiar as pessoas que não têm condições de procurar atendimento nas unidades de saúde durante a semana, por causa do trabalho.

Messejana, Jardim das Oliveiras, Aerolândia, Conjunto São Cristóvão, Curió e Castelão, são os bairros a serem contemplados com a nova medida, que começa no próximo sábado.

A SER VI informa ainda, que a partir dessa semana, o Centro de Saúde da Família (CSF) Waldo Pessoa, no Barroso, passa a funcionar até às 21h, possibilitando atendimento às pessoas que trabalham durante o dia. Com a medida, chega a sete o número de unidades de saúde com atendimento no terceiro turno na área da Regional VI.

O número de notificações naquela região chamam atenção. Dos 1.586 casos registrados em Fortaleza, 677 são da SER VI, o que representa 42,7% do total de casos registrados na Capital. Liderando o ranking vem o bairro da Messejana, com 79 casos confirmados, seguido da Sabiaguaba, 69; Pedras, 60; Paupina, 44; Edson Queiroz, 42; e Curió, 39. Em todo Estado, o número de casos confirmados é de 5.534, em 144 municípios.

Os óbitos somam 15. Destes, três por dengue hemorrágica: em Icó, Chorozinho e São Gonçalo do Amarante; e 12 por dengue com complicações, três em Caucaia, dois em Itapipoca e um em cada um nos municípios de Fortaleza, São Gonçalo do Amarante, Itaitinga, Acarape, Quixadá, Granja e Tejuçuoca.

Outros 19 óbitos permanecem em investigação. Os dados são da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), divulgados na última sexta-feira, 18 de março, no Boletim Semanal da Dengue.

O pequeno Álvaro, de apenas quatro anos, era um dos que estava na manhã de ontem, no Centro de Saúde da Família (CSF) de Messejana. Febre e vômito eram os sintomas que sentia. Sua mãe, a professora Georgia Monteiro Tomé, 29, conta que ficou preocupada, por causa da febre alta e do vômito. "Ele não está comendo nada, só bebe água", conta, aflita. Apesar dos sintomas parecidos, a mãe disse não acreditar ser dengue.

Atendimento
O auxiliar de escritório Vilanildo dos Santos Soares, 38, é outro que estava em busca de atendimento. Mas, diferente do pequeno Álvaro, ele já estava em sua terceira consulta. "Sinto dor nos olhos, no corpo, muita febre e, no último domingo, apareceram umas manchas na minha pele. Os sintomas são os mesmos da dengue, mas os exames de sangue não dão nada", conta o homem, preocupado.

Por causa das manchas que apareceram em seu corpo, ele teve que passar o último domingo internado na unidade básica de saúde da Messejana.

Mônica Monteiro, coordenadora da unidade, relata que somente esta primeira quinzena de março já ultrapassou as notificações registradas em todo mês de fevereiro. Foram 80 em fevereiro, contra 100 na primeira quinzena desse mês.

Risco
677 casos da doença foram registrados na Secretaria Executiva Regional VI. Em Fortaleza, foram 1.586 casos, de acordo com dados do Boletim Epidemiológico da Sesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário