quarta-feira, 23 de março de 2011

INVESTIMENTO Ceará receberá R$ 8milhões para combater câncer

Uma das medidas é a ampliação dos serviços oncológicos de atendimento em mais um hospital no Estado
Estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que, em 2011, no Brasil, haverá a ocorrência de 49,2 mil novos casos de câncer de mama e 18,5 mil de câncer de colo do útero. Só no Ceará, a previsão é de 860 e 1.660, respectivamente.

Clique para Ampliar

Diante desta perspectiva, o Governo Federal destinará ao Estado uma verba de R$ 8,1 milhões, que deverá ser aplicada em iniciativas de fortalecimento da rede de prevenção, diagnóstico e tratamento dos tipos de câncer em questão.

O montante é uma parte do investimento de R$ 4,5 bilhões, anunciado, ontem, pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro da Saúde Alexandre Padilha. O valor será partilhado entre os estados brasileiros durante os próximos quatro anos.

Dentre as medidas apresentadas pelo Ministério da Saúde para o Ceará está a habilitação de serviços de tratamento oncológico em mais um hospital da rede estadual.

Hoje, os pacientes com câncer que precisam de assistência através do Sistema Único de Saúde (SUS) contam com quatro unidades de atendimento especializado no Estado.

A verba deverá ser destinada ainda para a qualidade e modernização de equipamentos utilizados na prevenção, rastreamento e tratamento dos casos detectados. Com relação ao câncer de mama, dentre os instrumentos mais importantes para o seu diagnóstico, é o mamógrafo.

Dos 1.645 em funcionamento hoje pelo SUS em todo o País, apenas 34 estão no Ceará. Destes, conforme o Ministério da Saúde, 61,5% têm produtividade baixa.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2010, foram realizadas mais de 70 mil mamografias enquanto que em 2003 o número de exames ultrapassou 32 mil, representando uma diferença de mais de 50%, quando comparado os dois períodos.

Estrutura
Para Luís Porto, coordenador do Comitê Estadual de Prevenção e Controle do Câncer, instalado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), o recurso chega em uma boa hora, já que a estrutura das unidades que disponibilizam tratamento para a doença precisam de investimentos consideráveis.

"A nossa expectativa é que por meio desta verba aconteça uma ampliação na cobertura mamográfica e universalização dos exames citológicos em todo o Ceará, trazendo assim mais qualidade no atendimento a estes pacientes.

Verba
4,5 bilhões é o total do recurso disponibilizado pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde para a realização de ações de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença.

COMPLEXIDADE

Entrave no acesso prejudica o diagnóstico precoce
Conforme alguns especialistas, as medidas que deverão ser implementadas pelo Governo Federal não devem se restringir apenas a oferecer aparelhos modernos. Para amenizar o sofrimento das pacientes com câncer que dependem do SUS as ações a serem efetivadas devem ser bem mais amplas.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia - Regional Ceará, Antônio de Pádua, hoje, as mulheres que precisam de assistência encontram dificuldades que vão desde o acesso a um médico até a realização de exames.

"Aqui no Ceará, mais de 60% dos tumores identificados estão em estágio considerado avançado. O fato demonstra a falta de exames de rotina, mamografias, que podem identificar precocemente a doença", explica .

Apenas no Instituto do Câncer do Ceará são atendidas pelo SUS em média 400 pacientes, por mês, com câncer de mama, a primeira causa de morte por câncer entre a população feminina brasileira. Em 2008, a doença foi responsável por mais de 11mil óbitos.

Já com relação ao câncer de colo do útero, o número de atendimentos na unidade cai para, aproximadamente, 20, segundo informa o cancerologista Ricardo Juaçaba. O uso da camisinha e a conscientização sobre as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs/Aids) são os principais responsáveis pela estatística, ainda considerada alta.

JÉSSICA PETRUCCIREPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário