terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PLUVIOMETRIA NO CEARÁ 150 cidades registram chuvas


Boletim da Funceme registra chuvas na maioria dos Municípios, com inundações e estragos na Zona Norte
Clique para Ampliar
Pacujá. Chuvas intensas foram registradas de domingo a ontem na grande maioria dos Municípios do Interior. Pacujá registrou a maior precipitação, com 137mm, segundo a Funceme. Em Canindé, ruas foram inundadas e o rio que corta a sede transbordou nas áreas ribeirinhas. Famílias que moram em áreas de risco e na parte baixa de Pacujá sofreram as consequências.

Os bairros mais afetados foram Barro Branco e Pantanal, onde dezenas de casas foram invadidas pelas águas de um canal que corta a cidade e pela cheia do Rio Pacujá. "Eu comecei a tirar água de dentro casa por volta das 22h até as 2h da madrugada. Foi mais uma noite de sofrimento", disse a aposentada Raimunda Mariano.

Vicentina Teixeira da Silva, moradora da Rua Padre Vicente Jorge, uma das mais afetadas do Bairro Barro Branco, também foi vitima das águas. Ela conta que toda época de inverno, a situação se repete, principalmente depois da construção de um canal. 

Responsabiliza a Prefeitura por deixar as famílias construírem em área de risco, mesmo admitindo que os próprios moradores também têm culpa. O Barro Branco foi construído em 2007, para abrigar famílias que antes moravam em área de risco ou não tinha moradia. Lá residem aproximadamente 70 famílias.

Separação das águas
Para a coordenação da Defesa Civil local, a situação desses moradores só será resolvida quando for construído um dique à jusante que permitirá a separação das águas das chuvas das que correm naturalmente dos córregos que cortam a cidade. "Existem três projetos para serem executados pelo Dnocs, que permitirão o alargamento do canal já existente e a retirada das águas das chuvas que descem da serra em direção à cidade. A promessa é para os próximos dias", garantiu Alex Melo, coordenador da Defesa Civil.

Quem também vem enfrentando problemas com as chuvas de inverno são os moradores do Bairro Pantanal. Na Rua 22 de Setembro, a obra de um templo evangélico está impedindo que a água das chuvas escoe para o Rio Pacujá, principal afluente da cidade. 

Segundo Alex Melo, a população já se mobilizou para derrubar parte do muro para dar a passagem à água que se acumula no leito da rua. "Os moradores da Rua 22 de Setembro já detectaram o problema e prometem abrir um buraco na parede que foi construída", adiantou Alex Melo.

A Defesa Civil acredita que cerca de 19 famílias estejam morando em área de risco. Caso o volume das águas do rios Quirino e Pacujá continue aumentando, as famílias deverão ser retiradas para abrigos. Alex Melo informou ainda que a Prefeitura realizou em dezembro um mutirão de limpeza, principalmente no canal da cidade.

De acordo com o boletim da Funceme, na região da Ibiapaba, onde está situado de Pacujá, choveu em todas as cidades, com a maior precipitação em Pacujá, 137mm. Em Pires Ferreira, choveu 135mm; Graça, 122mm e Mucambo, 90mm.Clique para Ampliar
Já nos sertões de Canindé, as chuvas do fim de semana trouxeram alegria para os agricultores, mas apreensão para algumas famílias. Na localidade de Lagoa Verde, chuvas intensas derrubaram cercas, cortaram estradas e um açude de médio porte sangrou. Ontem, os veículos do transporte alternativo não circularam, deixando muita gente sem acesso à sede.

Na sede do Município, inúmeras ruas ficaram alagadas com as chuvas de ontem, o Rio Canindé transbordou na área ribeirinha, uma passagem molhada na Rua Presidente Dutra não suportou a força das águas e rompeu, deixando o trânsito para o Centro de Canindé com problemas. Na sede do Dnocs, a chuva aumentou a capacidade do Açude São Matheus em 12 centímetros e derrubou algumas árvores.

Tábua de Chuvas
Pacujá 137 mm
Pires Ferreira 135 mm
Graça 122 mm
Jaguaruana 97 mm
Ipu 94 mm
L. da Mangabeira 91 mm
Mucambo 90 mm
Icó 87 mm
Santa Quitéria 84 mm
Iguatu 82 mm

Fonte: Funceme

Enquete 
Dificuldades

"Quando chove, a água começa a sair pelo ralo do banheiro e em poucos minutos está tudo inundado"
Rejane AzevedoDona-de-casa

"Neste período de inverno temos que manter os móveis sempre assim, em cima de tijolos, se não quiser perder tudo"
Raimundo MarianoAposentada

"Aqui o nosso sofrimento se repete a cada inverno. Eles prometem retirar a gente daqui. Mas não cumprem"
Geraldo Ferreira de OliveiraAgricultor

MAIS INFORMAÇÕES 
Defesa Civil de Pacujá
Rua Dr. João Salmito de Almeida S/N, Centro, Serra da Ibiapaba
Telefone: (88) 3641.1289

WILSON GOMESCOLABORADOR
CENTRO-SUL

Agricultores esperam "bom inverno"

Animados com a quantidade de chuva que vem caindo na região, muitos decidiram antecipar o plantio
Iguatu. Na região Centro-Sul, a chuva que banhou as áreas de produção agrícola, neste fim de semana, trouxe animação para os agricultores. O tempo permaneceu nublado e os produtores rurais começaram a preparar as terras para o plantio das culturas tradicionais de milho, feijão, arroz e sorgo. A maioria deve fazer o cultivo a partir da próxima semana.

Ontem, foram registrados 82 milímetros, no escritório da Ematerce, nesta cidade. Há informações de chuvas em toda a região. Segundo o gerente regional da Ematerce, Joaquim Virgulino Neto, 80% das sementes de milho, feijão, sorgo, mamona e girassol já foram distribuídos para cerca de 30 mil produtores rurais em 14 Municípios.

Nesta cidade, o trabalho de entrega das sementes deve ser concluído hoje. No campo, os agricultores preparam as terras com uso de arado ou de tratores. O clima é de animação. "Acho que o inverno neste ano vai ser muito bom", disse o produtor Francisco Pereira Benigno, morador da localidade de Serrote, nas margens do Açude Orós. "Amanhã, vou começar a plantar", complementou.

Ele lamentou a falta de semente de feijão. "Neste ano, faltou feijão". Outros agricultores também reclamaram. "O feijão que vou plantar é um pouco de grão que tenho lá em casa", disse o agricultor José Gomes Teixeira, da localidade de Quixoá. Teixeira conseguiu 40 quilos de semente de milho híbrido e deve começar o plantio numa área de dois hectares a partir desta quinta-feira. "A chuva foi boa e a terra está bem molhada, pronta para o plantio", disse. "Estou animado e esperando um excelente inverno".

Quem também espera boas chuvas é o agricultor Antônio Vicente, do Sítio Aroeira. "O inverno vai ser grande e estou esperando muitas chuvas", disse. Vicente está preparando dez hectares para o plantio de milho e de sorgo forrageiro. Ontem pela manhã, ele conseguiu 60kg de sementes do Programa Hora de Plantar.

A produtora rural Sebastiana Alves do Carmo é outra que se mostra animada com a perspectiva de uma quadra invernosa com registro de chuvas acima da média. "Se Deus quiser vamos ter um bom inverno", disse. Ela e o marido, José Eudes Carmo, esperam o trator da associação comunitária para fazer o cultivo das sementes selecionadas de milho, numa área de um hectare e meio, no Sítio Cajás.

O gerente regional da Ematerce explicou que houve um acréscimo contínuo na remessa de sementes de milho nos últimos três anos para os Municípios da região Centro-Sul. Citou como exemplo Iguatu, que passou de 40 toneladas para 66 toneladas, e Quixelô, de 30 toneladas para 52 toneladas.

Já com relação às sementes de feijão, Neto confirmou que a quantidade é insuficiente para atender à demanda. "Isso vem ocorrendo nos últimos anos", disse. "O governo não consegue comprar muito e a remessa fica inferior à quantidade necessária".

Segundo relatório da Ematerce, a partir desta semana deve ser intensificado o trabalho de cultivo das culturas tradicionais de sobrevivência, como milho, feijão e arroz, nas áreas da agricultura familiar.

MAIS INFORMAÇÕES
Escritório da Ematerce
Av. Perimetral, S/N - Bairro Cocobó
Iguatu (CE)
Telefone: (88) 3581. 9478

HONÓRIO BARBOSAREPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário