sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

PRODUÇÃO AGRÍCOLA Chuva traz expectativa de safra recorde no CE

Conforme previsão inicial da Ematerce, colheita de grãos no Estado deve ser de 1,35 milhão em 2011Clique para Ampliar
Após 2010 ter se mostrado desfavorável ao plantio no Ceará, devido à escassez de chuvas, a precipitação que caiu neste primeiro mês do ano renovou as esperanças de agricultores e já provoca previsões otimistas para a safra. 

De acordo com o presidente da Ematerce (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará), José Maria Pimenta, a colheita deste ano será recorde, com a produção de 1,35 milhão de toneladas de grãos. 

O número revigorante é 288% superior à safra assinalada no ano passado, que foi de 334,9 mil toneladas e representou uma quebra de 76% ante a previsão inicial, de 1,3 milhão de toneladas. 

“Se continuar essa situação de chuva, esperamos quebrar um recorde na produção de grãos”, afirma Pimenta. 

Só de milho, a estimativa da Ematerce é de que sejam colhidos, pelos trabalhadores rurais cearenses, cerca de 1 milhão de toneladas. “A intenção de plantio permanece em 700 mil hectares para o milho”, completa.

Para o feijão, a previsão é de produção de aproximadamente 200 mil toneladas. 100 mil toneladas de grãos são esperados para a colheita do arroz. A mamona deve ficar ao nível de 50 mil toneladas. 

E mesmo as chuvas no Estado, que se encontram em um patamar 600% superior à média histórica, tornando este mês de janeiro o mais chuvoso dos últimos 32 anos, não tem preocupado agricultores nem especialistas. 

“No momento, não prejudicou muito, porque essas chuvas ocorreram mais em regiões onde ainda não havia tido plantio. Na maior região produtora de grãos, a do Cariri, não houve chuvas que viessem a prejudicar a área plantada”, explicou José Maria Pimenta.

Quadra chuvosa
Entretanto, segundo Paulo Barbieri, meteorologista da Funceme (Fundação Cearense de Meteorologia), as precipitações na região Sul do Estado já superam em 76,7% a média para meses de janeiro, que é de 106,1 milímetros. “A expectativa da Funceme é de que as chuvas devem permanecer da média para cima. Isso pode prejudicar a colheita. Em 2009, devido ao excesso, tivemos perda de safra no Estado”, alerta Barbieri. 

Conforme explica, durante os meses de fevereiro, março, abril e maio, que compreendem a quadra chuvosa, a precipitação também deve ficar dentro ou acima da média. Prevê-se que as chuvas mais intensas fiquem concentradas na região litorânea do Estado, atingindo, pelo menos, o patamar entre 700 e 750 mm. No Cariri, a perspectiva é de 639,7 mm”.

DIEGO BORGESRepórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário